Tim(88)9761-4880

Ferroviário vence o Campinense/PB nos pênaltis e conquista o acesso à Série C

Coroando campanha de superação, o Ferrão conseguiu seu acesso ao bater o Campinense nos pênaltis fora de casa


Pode comemorar torcida coral. O Ferroviário está de volta à Série C do Campeonato Brasileiro. Como diz a letra do hino oficial do clube, “salve, salve FAC, é o time dos maiorais”. 

Coroando uma campanha de superação e muita dedicação na Série D, o Tubarão da Barra conseguiu seu acesso de forma emocionante, batendo ontem à noite o Campinense nos pênaltis por 5 a 4 no Estádio Amigão, em Campina Grande, após derrota no tempo normal por 1 a 0. A vaga foi decidida nos pênaltis pelo Ferroviário ter vencido a partida de ida no Castelão por 3 a 2.

Com o principal objetivo na competição conquistado, o Ferrão pensa agora na luta pelo título da Série D: o time coral enfrentará o São José/RS na semifinal. O primeiro jogo será no Castelão e o de volta no Passo da Areia, no Rio Grande do Sul. As datas ainda serão definidas pela CBF.

Com o acesso, o Ferrão jogará a Série C em 2019 pela 13ª vez em sua história. O clube não disputa a ‘Terceirona’ nacional desde 2006, ano no qual quase conquistou o acesso, terminando na 5ª colocação.

Após ter vencido a primeira partida no Castelão, o Ferroviário sabia que tinha uma vantagem, de jogar por qualquer empate, mas para conquistar o acesso, era preciso segurar a grande pressão no lotado estádio Amigão. Precisando de pelo menos, um gol para se manter vivo, o time paraibano foi para cima em busca no gol desde o início.

Aos 8 minutos o primeiro susto. Em bola levantada na área por Alex Murici, Denilson subiu mais alto que todo mundo e cabeceou para fora, vendo a bola passar por cima do gol de Glebson.

Pressionado, o Ferroviário assustou apenas aos 23 minutos. Em cobrança de falta aos 23, a defesa da Raposa tentou cortar, a bola bateu em Edson Cariús e obrigou o goleiro Jeferson a fazer grande defesa, impedindo o que seria o primeiro gol coral. Empurrado pela sua torcida, o Campinense pressionou em busca do gol. Com os velozes Alex Murici e Danilo Bala, os donos da casa deram trabalho, com a defesa coral precisando se desdobrar para manter o placar de zero a zero no 1º tempo.

Emoção

Se o primeiro tempo foi equilibrado, o segundo foi do Campinense, que abriu o placar com 4 minutos. Após cobrança de escanteio, Luís Fernando errou o cabeceio e Jorginho fez de bicicleta, marcando um golaço para a Raposa: 1 a 0.

O placar levava a decisão para os pênaltis, mas o Campinense aumentou a pressão, procurando decidir no tempo normal. Acuado, o Ferrão teve trabalho para segurar a pressão e já perto do fim do jogo, aos 44, o goleiro coral, Gleibson, fez uma espetacular defesa que garantiu a decisão nos pênaltis, em chute de Alex Murici no ângulo.

Nas penalidades máximas, os corais bateram bem, convertendo suas cobranças. Quando Felipe Macena mandou na trave, a esperança coral pelo acesso aumentou. 

Para o pênalti decisivo, Edson Cariús foi para a bola e o artilheiro não desperdiçou, iniciando a festa coral na Paraíba.

10 de JUL de 2018 às 07:04:00
Fonte: Diário do Nordeste
imagem


Pode comemorar torcida coral. O Ferroviário está de volta à Série C do Campeonato Brasileiro. Como diz a letra do hino oficial do clube, “salve, salve FAC, é o time dos maiorais”. 

Coroando uma campanha de superação e muita dedicação na Série D, o Tubarão da Barra conseguiu seu acesso de forma emocionante, batendo ontem à noite o Campinense nos pênaltis por 5 a 4 no Estádio Amigão, em Campina Grande, após derrota no tempo normal por 1 a 0. A vaga foi decidida nos pênaltis pelo Ferroviário ter vencido a partida de ida no Castelão por 3 a 2.

Com o principal objetivo na competição conquistado, o Ferrão pensa agora na luta pelo título da Série D: o time coral enfrentará o São José/RS na semifinal. O primeiro jogo será no Castelão e o de volta no Passo da Areia, no Rio Grande do Sul. As datas ainda serão definidas pela CBF.

Com o acesso, o Ferrão jogará a Série C em 2019 pela 13ª vez em sua história. O clube não disputa a ‘Terceirona’ nacional desde 2006, ano no qual quase conquistou o acesso, terminando na 5ª colocação.

Após ter vencido a primeira partida no Castelão, o Ferroviário sabia que tinha uma vantagem, de jogar por qualquer empate, mas para conquistar o acesso, era preciso segurar a grande pressão no lotado estádio Amigão. Precisando de pelo menos, um gol para se manter vivo, o time paraibano foi para cima em busca no gol desde o início.

Aos 8 minutos o primeiro susto. Em bola levantada na área por Alex Murici, Denilson subiu mais alto que todo mundo e cabeceou para fora, vendo a bola passar por cima do gol de Glebson.

Pressionado, o Ferroviário assustou apenas aos 23 minutos. Em cobrança de falta aos 23, a defesa da Raposa tentou cortar, a bola bateu em Edson Cariús e obrigou o goleiro Jeferson a fazer grande defesa, impedindo o que seria o primeiro gol coral. Empurrado pela sua torcida, o Campinense pressionou em busca do gol. Com os velozes Alex Murici e Danilo Bala, os donos da casa deram trabalho, com a defesa coral precisando se desdobrar para manter o placar de zero a zero no 1º tempo.

Emoção

Se o primeiro tempo foi equilibrado, o segundo foi do Campinense, que abriu o placar com 4 minutos. Após cobrança de escanteio, Luís Fernando errou o cabeceio e Jorginho fez de bicicleta, marcando um golaço para a Raposa: 1 a 0.

O placar levava a decisão para os pênaltis, mas o Campinense aumentou a pressão, procurando decidir no tempo normal. Acuado, o Ferrão teve trabalho para segurar a pressão e já perto do fim do jogo, aos 44, o goleiro coral, Gleibson, fez uma espetacular defesa que garantiu a decisão nos pênaltis, em chute de Alex Murici no ângulo.

Nas penalidades máximas, os corais bateram bem, convertendo suas cobranças. Quando Felipe Macena mandou na trave, a esperança coral pelo acesso aumentou. 

Para o pênalti decisivo, Edson Cariús foi para a bola e o artilheiro não desperdiçou, iniciando a festa coral na Paraíba.

10 de JUL de 2018 às 07:04:00
Fonte: Diário do Nordeste